Notícias

Tamanho não é documento

Vista como cenário de grandes oportunidades, a internet não atrai apenas gigantes do setor de autopeças. O comércio eletrônico tem impulsionado o crescimento de fabricantes de médio porte, que têm utilizado a web para fazer bons negócios e, o melhor, sem ter de gastar muito por isso

Há alguns meses, a Metalúrgica Nova Delpri vem ensaiando sua entrada no comércio eletrônico. Até o momento, a fabricante de peças estampadas mantém apenas uma página institucional da empresa na internet.

“Mas queremos fortalecer nosso relacionamento com os clientes finais, mecânicos e varejistas”, diz Adriano Alves, representante comercial da Metalúrgica Nova Delpri.

Para isso, a marca tem analisado, criteriosamente, as opções disponíveis no mercado com foco em tecnologia. Mais do que um e-commerce, a empresa busca soluções inteligentes.

O Canal da Peça, que desenvolve recursos tecnológicos para companhias do setor de autopeças, encabeça a lista de preferências da Nova Delpri. “A plataforma chamou nossa atenção pela visibilidade que tem no mercado”.

A expectativa de Alves é que, com o ingresso neste universo, a empresa tenha mais expertise para solucionar questões antes não identificadas. “Poderemos ter acesso à ferramentas intuitivas e relatórios, assim teremos mais suporte para resolver problemas”, acrescenta Alves.

Integração do setor

Mais de 300 varejistas utilizam as soluções do Canal da Peça, que têm favorecido todos da área. O lojista Emirson Oliveira, do Grupo Frota, está cada vez mais animado com os avanços de sua empresa no cenário virtual.

“Desde que entramos na internet, temos feito vendas para todo o Brasil. Peças de pouco giro que antes eram um empecilho, agora têm saída”, diz, animado. “Os fabricantes que têm se digitalizado também ajudam a impulsionar nossas vendas, pois os pedidos são direcionados para nós”.

Companhias como Bosch e SKF já utilizam as ferramentas da plataforma de diferentes maneiras. Entre as soluções estão a digitalização do catálogo, aplicativo exclusivo e portal próprio, que, além de servirem como ponte para divulgação de produtos e lançamentos, ainda reúnem varejistas que comercializam os itens da marca.

Leia mais sobre a nossa parceria com a SKF

“Ou seja, o fabricante que contrata nossas soluções irá beneficiar a cadeia por completo. Além de sua própria exposição na internet, os lojistas parceiros poderão se associar à plataforma; enquanto os consumidores finais e mecânicos, irão encontrar mais facilmente o item que procura em um único portal”, explica Fernando Pereira, representante comercial do Canal da Peça.

Mesmo que o fabricante já tenha um site no ar, ele poderá adotar as soluções da plataforma. “Inserimos ferramentas que podem ser usadas no mesmo endereço digital. Além disso, damos suporte através de relatórios, avaliações de vendas, atendimento aos clientes, entre outras vantagens exclusivas”, acrescenta Pereira.

Raphael Couto, da Bosch


Uma das companhias pioneiras em utilizar essas soluções, a alemã Bosch tem aprovado o resultado. “A plataforma digital permite oferecer não somente a possibilidade de venda e compra de autopeças, mas também atrelar conteúdo técnico e compartilhar informações relevantes sobre os produtos, serviços e tecnologias, o que reforça o relacionamento da empresa com o mercado de forma geral”, afirma Raphael Couto, coordenador de trade marketing da divisão Automotive Aftermarket da América Latina da Bosch.

+ Confira a entrevista com Raphael Couto, da Bosch 

Cliente do Comprebosch.com.br, Renato Takahashi exalta a facilidade. “Conheci o portal em janeiro, em uma pesquisa no Google. Desde então, tenho acessado para fazer minhas compras. É muito mais prático”, diz ele, que também elogia o suporte e o custo-benefício. “Achei o atendimento excelente. O valor do frete é justo e já consegui bons descontos através dos cupons disponibilizados pela marca”, afirma.



Território democrático

Aos poucos, a internet está sendo usada como canal de comunicação entre fabricantes de médio porte e profissionais do setor de autopeças. O diálogo online, inclusive, tem ultrapassado a fronteira digital, convertendo-se em negócios para todos do mercado.

“Analisamos o setor e constatamos que muitos consumidores finais procuram fabricantes sem antes buscar o varejo tradicional. Optamos em investir em uma plataforma segmentada para que todos fossem beneficiados”, afirma Debora Coronado, gerente de marketing da Perfect, fabricante de linhas de suspensão, transmissão, direção, motor e acessórios.

+ A transformação digital da Perfect

Um dos consumidores da marca, o analista de sistemas Alexandre Zardo, apoia a iniciativa da companhia. “Muitas vezes meu mecânico não consegue encontrar peça para o meu carro, então tenho que pesquisar na internet”, diz Zardo, dono de um automóvel fabricado pela chinesa Jac Motors.

“Entrei em contato com a Perfect, que me direcionou para o próprio portal da marca. Na página, encontrei facilmente o produto que buscava. Gostei muito da experiência e pretendo continuar utilizando este canal”, afirma.

No lugar certo

Procurar produtos automotivos nos portais de fabricantes é uma prática comum no País. Uma pesquisa da Central de Inteligência Automotiva (Cinau), que avaliou 488 reparadores independentes no Brasil, revelou que 88,1% utilizam a internet para pesquisar peças. Destes, 45,6% buscam os produtos diretamente nos sites dos fabricantes.

Daniel Braga, da Mecpar, ao lado de Vitória Limírio, assistente de atendimento do Canal da Peça


A análise também apontou que 7 em cada 10 profissionais automotivos optam pela compra virtual quando não encontram a peça em seus fornecedores. “Hoje, todos do setor podem ficar bem informados, por dentro de lançamentos e onde encontrar determinados produtos por intermédio dos fabricantes”, afirma Daniel Braga, diretor de marketing da Mecpar, que atua com componentes de transmissão.

 Veja como é simples ter sua própria loja virtual

Utilizando as soluções do Canal da Peça há dois anos, a empresa só lista vantagens com a parceria. “A plataforma oferece sistema moderno e o custo-benefício é excelente. Não há outro igual no mercado”, diz.

Para Braga, a concorrência virtual não é motivo de preocupação. Pelo contrário. “É muito positivo para o mercado, como um todo, já que quanto mais empresas e varejistas entrarem na rede, mais os consumidores acessarão em busca de produtos”.

Mercado promissor

De acordo com um estudo feito pela consultoria americana Forrester Research, por encomenda do Google, 27 milhões de brasileiros farão sua primeira compra pela internet até 2021.

Se a expectativa for atingida, o País terá 67,4 milhões de consumidores virtuais, o que representa 44% dos internautas. A pesquisa ainda prevê aumento de quase 80% no faturamento do comércio eletrônico, saltando para R$ 85 bilhões até 2021.

Confiante neste mercado, a fabricante Ampri, especializada em mecanismos de direção, bombas hidráulicas e axiais de direção, também se digitalizou. “Estou bem ansiosa, pois as ferramentas interligarão os três canais do setor: indústria, distribuição e varejo. A plataforma irá facilitar a nossa comunicação, assim, conseguiremos entender as necessidades do consumidor final”, afirma Jane de Castro, gerente de marketing da Ampri.

Para Jane, o diálogo mais alinhado poderá resultar em mais vendas. “Acredito que também irá facilitar nossa comercialização, pois dará autonomia para nossos clientes pesquisarem preços, prazos e lojas”, acrescenta.

Jane de Castro, da Ampri


Com as soluções em mãos, a Ampri estará munida até para ações específicas de marketing. “A nossa presença digital facilitará o acesso aos estoques dos varejistas e, dessa maneira, poderemos fazer campanhas de incentivo com mecânicos e clientes finais”, diz Jane, que ressalta outras vantagens.

“Teremos a possibilidade até de saber, com precisão, quais públicos se interessam mais por determinado produto e, assim, criar listas específicas de direcionamento de peças e promoções”, afirma.

Online para ter mais resultados

A fabricante DNI, especializada em eletroeletrônico e condutores elétricos, utiliza a internet para comercializar seu portfólio há pouco mais de três anos. Desde a entrada na rede, a empresa tem tido boas experiências.

“Hoje, as informações no site DNI são atualizadas diariamente, ou seja, conseguimos manter toda a cadeia informada em tempo real, consequentemente, melhorando a forma de encontrar produtos”, diz Luciana Souza, responsável pela área de comunicação da DNI.

Luciana acredita que o setor tende a ficar cada mais digitalizado por conta da demanda online. “Em algum momento, todos vão utilizar a rede para encontrar um produto. Uma plataforma tecnológica como o Canal da Peça facilita essa busca”, opina Luciana.

+ Leia mais sobre o futuro do setor de autopeças na internet

Para ela, o comércio virtual é vantajoso para todos fabricantes, independentemente do porte. “Estar na rede significa expor seu produto e sua empresa para um maior número de pessoas. É estar ao alcance de muitos ao mesmo tempo”, acrescenta. Assim como acontece em grandes shoppings e centros comerciais, a internet se tornou um lugar para ver e ser visto.

Receba grátis por e-mail

Comentários

Author


Avatar